30.7.14

Meu retorno ao Brasil

Acho que quem é brasileiro e já morou em Portugal vai entender o que eu vou escrever agora.


Quando eu voltar ao Brasil eu não sei como vou chegar num estabelecimento e não dizer "olá, bom dia". Aqui eu aprendi tantas coisas (algumas das coisas que aprendi vou carregar comigo pro resto da vida). Aprendi a gostar de vinho e de batata. Adotei as palavras autocarro, fino e telemovel também.  E muitas outras palavras que eu nunca tinha ouvido antes. Até o meu vocabulário mudou!

E eu aprendi a não dar muita importância pra nacionalidade das pessoas, e a dar importância as atitudes e gestos dos outros, por que afinal, somos todos iguais e nacionalidade não define caráter. Também aprendi a gostar das pessoas independente da tradição, cultura, normas ou padrões que elas sigam. Somos todos diferentes, mas ao mesmo tempo, todos iguais. Eu vou sentir saudades de Coimbra, das pessoas daqui, das praças, dos parques, das árvores secas no inverno e de quando a cidade fica lotada de estudantes durante o ano letivo.

As piadas e comentários ruins que ouvi dos portugueses perderam o sentido pra mim desde que cheguei em Portugal. Os costumes e a cultura daqui (que não é muito diferente da nossa) nunca afetou os laços que aqui criei. Tive a chance de conhecer pessoas muito boas. E eu acredito que quase todas as pessoas que apareçam em nossa vida tenham algo de importante pra nos mostrar ou nos ensinar. Aqui as pessoas me ensinaram que nós somos todos cidadãos do mundo, e que querendo ou não, nós temos a honra de compartilhar o mesmo, mas é preciso ser humilde pra aprender com as outras culturas e saber respeitar as diferenças. 

A imagem das ruas estreitas e das pessoas mais velhas andando por aí sem nenhuma preocupação no centro de Coimbra vão permanecer na minha mente por um longo tempo. No entanto, tudo que eu quero agora é voltar pra casa, arrastar um cadeira pra perto e sentar no pátio da minha casa com a minha família. E sentada, olhar pro mar fixamente. 

O mar me lembra a distância que existe entre Portugal e Brasil... Distância que separa o meu coração e as minhas lembranças. Distância que me faz pensar: "Por que as coisas tem que ser assim?"

Agora eu faço parte de duas realidades, de dois países e de duas culturas. Eu terei a honra de sofrer o gostinho da saudade por um longo tempo, não importa onde eu estiver. Mas, onde eu estiver, carrego o sorriso e as palavras e frases das pessoas que gosto dentro dos meus pensamentos.  

2 comentários:

  1. Martina,

    Bela mensagem de despedida que deixas a Portugal e a Coimbra, em particular.

    Revela o respeito, carinho e agradecimento a um país e cidade que te acolheu durante uma curta parcela da tua ainda curta vida.

    Apesar do Brasil de hoje contemplar descendentes e emigrantes de várias nações do mundo, não há, nem haverá preconceito algum que desfaça a ligação afectiva que Portugal tem pelo Brasil.

    Conheci os teus videos e sitios na web, e com eles também conheci uma pequena e bela mulher, de uma personalidade peculiar e cheia de ironia. Diverti-me imenso.

    Desejo-te muita sorte no regresso a tua casa no Brasil.

    Abraços e volta sempre :-)






    ResponderExcluir
  2. Martina,

    Afinal estarás de volta a Coimbra no próximo mês de Setembro.

    Serás muito bem vinda. É bom que se mantenha em ti o desejo de viver outras realidades e de crescer fora do Brasil. A saudade é deixa-la para mais tarde.

    Abraços,

    P.S. Não sei se estarei a dar alguma novidade, mas Coimbra possui já um mercado com produtos brasileiros. Dá uma vista de olhos neste video de compatriotas teus:

    https://www.youtube.com/watch?v=i92T5scwY2k

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...